27 de mai de 2011

Código de Ética da Dança do Ventre


Código de Ética da Dança do Ventre

O Código de Ética da Dança do Ventre foi elaborado a partir da iniciativa de SHALIMAR MATTAR, editora do jornal "ORIENTE, ENCANTO E MAGIA", objetivando a organização e valorização do segmento envolvido com a dança do ventre no Brasil.

Esse é o resultado de um trabalho conjunto e democrático que contou com a participação de 439 praticantes dessa arte (amadoras e profissionais) durante um período de 10 meses de trabalhos. Publicação 03/03/2002 durante o "1º Simpósio de Dança do Ventre" realizado em São Paulo:

"Código de Ética da Dança do Ventre"
A dança do ventre é uma expressão artística e, como tal, deve ser difundida. Cabe às profissionais da área zelar pelo seu conceito, mantendo assim, os padrões de elegância que a envolvem e não permitindo sua vulgarização.

Para exercer suas funções com dignidade, as profissionais da área devem receber remuneração justa pelos serviços artísticos ou didáticos prestados.

É considerada conduta antiética a prática de concorrência desleal com outras profissionais da área (bailarinas ou professoras).

PROFESSORAS:
- A professora tem a função de ensinar e orientar pacientemente, sempre zelando, em primeiro lugar, pela saúde e bem-estar de suas alunas, e respeitando as limitações de cada uma.

- A todas as professoras é dada orientação que seus currículos estejam à disposição das alunas.

- É importante que a professora realize anualmente avaliações opcionais com suas alunas, as quais terão à disposição informações preciosas para a evolução de seu aprendizado.

- A dedicação ao ensino deve ser direcionada para o conhecimento de suas alunas e não como instrumento de vaidade pessoal para a promoção da professora

- A professora deve exercer seu trabalho livre de toda e qualquer discriminação, motivando e respeitando suas alunas, independentemente de características físicas ou faixa etária, lembrando que esta é uma atividade que deve ser direcionada visando ao bem-estar e equilíbrio físico, mental e emocional. Portanto, não podem ser exigidos padrões estéticos que diferenciem ou discriminem qualquer uma delas.

- Para aptidão ao magistério da dança do ventre considera-se satisfatório um período mínimo de 4 anos de estudos na área, com aperfeiçoamento em didática e conhecimentos de anatomia, cinesiologia e biomecânica que possibilitem segurança na realização de um trabalho corporal consciente. O tempo de estudo pode ser reconsiderado a partir de cursos realizados anteriormente, como balé clássico, educação física ou faculdade de dança .

- A professora de dança do ventre deve buscar aprimoramento e atualização constantemente.

- A professora deve cumprir a programação e o cronograma de cursos oferecidos ou divulgados a suas alunas.

- Todas as alunas merecem igual atenção de sua professora, a qual não deve fazer qualquer distinção entre elas.

- A professora deve ser especialmente honesta quanto aos seus conhecimentos, buscando respostas corretas para esclarecimento de suas alunas. Todas as informações pertinentes ao curso que se dispõe a ministrar devem ser transmitidas com clareza e honestidade, visando ao efetivo aprendizado de suas alunas.

- Como a dança do ventre tem origens muito remotas e informações de difícil acesso, esta questão deve ser sempre esclarecida a priori, para se evitar a divulgação de histórias fictícias que resultem em prejuízo à sua imagem e evolução.

- A professora não deve estimular competitividade negativa entre suas alunas ou com outros grupos.

- A professora deve ter respeito e consideração com as demais profissionais da área, preservando um ambiente de relacionamento sadio que possa acrescentar ao desenvolvimento de todo o segmento, não utilizando a sala de aula como espaço para demonstrar rivalidades pessoais ou denegrir a imagem dos demais profissionais da área em pról de sua promoção.

São ainda consideradas atitudes antiéticas:
- Apresentar coreografias de outras profissionais sem prévia autorização, bem como omitir o nome da responsável por sua criação.

- Coibir a participação de alunas em workshops e cursos que possam acrescentar elementos ao desenvolvimento e aprendizado.

- Apresentar currículos com informações fictícias referentes ao aprendizado e experiência. Recomenda-se que, em se tratando de cursos e workshops, sempre se solicite certificado de participação

BAILARINAS:No Brasil, até a presente data, são consideradas bailarinas de dança do ventre todas aquelas que, possuindo o conhecimento e experiência necessários, prestem serviços artísticos profissionais (shows) mediante oneração.

- Cabe à bailarina profissional cumprir todas as cláusulas acertadas em contrato para prestação de serviços artísticos junto ao seu contratante.

- A bailarina profissional de dança do ventre deve zelar pela imagem moral da categoria que representa:

a) mantendo relacionamento de respeito e elegância junto ao seu público e contratante.
b) trajando-se de forma adequada aos padrões da categoria durante suas apresentações.

Faz parte da correta conduta ética entre bailarinas profissionais:
- Quando assistir à apresentação de outra bailarina e/ou alunas, dedicar o devido respeito e atenção.

- Quando estiver realizando apresentação em conjunto, ser solidária e direcionar o trabalho com espírito de equipe e união.

- Ter consciência de que cada profissional possui um estilo próprio que a diferencia e, assim, saber apreciar e admirar, com a devida humildade, todas as variadas formas de se expressar a mesma arte.

- Respeitar o local de trabalho de outras profissionais.

São consideradas atitudes antiéticas:
- Atravessar ou interferir em contato de trabalho de outra profissional estando ciente deste fato.

- Distribuir material de propaganda pessoal durante serviços contratados por meio de outra bailarina.

- Criticar o desempenho ou denegrir a imagem de outra profissional junto ao público, contratantes ou demais colegas da área.

- Transformar uma apresentação coletiva em disputa pessoal de vaidade, interferindo na qualidade do trabalho apresentado.

A forma como uma professora e bailarina se referem à sua(s) mestra(s) é um exemplo que será seguido por suas alunas amanhã. Quem não respeita seu mestre não valoriza a arte.

Recomenda-se sempre avaliação médica antes do início das atividades, como em qualquer atividade física.

As responsáveis pela elaboração do Código de Ética esperam que a união, a humildade, a seriedade, o respeito e o amor sincero à arte estejam sempre acima de qualquer diferença pessoal. Que estes laços que nos aproximaram até aqui em favor do objetivo único de valorizar e organizar nossa arte se fortifiquem a cada dia, alcançando todas as praticantes da dança do ventre no Brasil.
Fonte: www.orienteencantoemagia

26 de mai de 2011

Mudanças para o Ensino Médio. Entrevista com membro do CNE

Mudanças para o Ensino Médio. Entrevista com membro do CNE






Luan Santos e Karina Costa

José Fernandes de Lima é conselheiro do Conselho Nacional de Educação (CNE), doutor em física, ex-reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Estado em que foi secretário da Educação. Em entrevista, Lima fala das mudanças aprovadas pelo CNE que pretendem orientar o ensino médio. Medidas aguardam homologação do Mec.
De acordo com as mudanças aprovadas pelo CNE, o novo ensino médio será norteado por novas diretrizes: definição de eixo curricular por área do conhecimento, contextualização e incentivar a autonomia das escolas. O que motivou a definição das novas diretrizes?
Para resumir, foram três as razões que motivaram estas diretrizes. A primeira delas é que percebemos maior quantidade de conhecimento sendo produzida. Os avanços principalmente das tecnologias da informação pressionam as escolas para que elas se insiram neste mundo das novas tecnologias. Em segundo lugar, desde a Lei das Diretrizes Básicas (LDB, de 1996), todas foram mantidas, mesmo ocorrendo uma série de novas legislações e transformações na educação, como o Fundeb, o Programa do Livro Didático, O projeto da Merenda para o Ensino Médio. E estas mudanças nos obrigam a rever as diretrizes, que se mantiveram estagnadas. E em terceiro, percebemos que a quantidade de pessoas no ensino médio aumentou bastante. Então era necessário pensar em um ensino médio que contemplasse as “juventudes” do Brasil. E digo “juventudes”, no plural, devido à realidade dos estudantes que temos. O projeto de vida, a estrutura, os objetivos, os interesses de um jovem de classe alta será diferente daquele jovem da periferia, assim como será diferente daquele do campo.
Qual o rumo o ensino médio tende a tomar?
O ponto chave para esta discussão é dar uma identidade ao ensino médio. Esta etapa da educação tem que ser entendido como sendo um direito de todos e como a última fase da Educação Básica. Tem que preparar para a continuidade dos estudos, para o trabalho e para o exercício da cidadania. Temos que procurar aproximar a educação com o projeto de vida dos estudantes.
O que acontecerá com as disciplinas tradicionais como química, física, biologia, por exemplo?
Continuarão com seus conhecimentos sendo aplicados. Não deixarão de existir. Apenas estarão inseridas nas 4 áreas que a escola terá que contemplar em seu currículo: ciência, tecnologia, trabalho e cultura. A diferença é que haverá maior relação entre estas disciplinas, pois estarão organizadas por áreas do conhecimento.
Como essas áreas se articularão sem mexer nas competências necessárias para os vestibulares?
Não queremos uma preparação apenas para a continuação dos estudos, mas também para a vida e para o trabalho, por isso vamos contemplar estes quatro campos (ciência, tecnologia, cultura e trabalho). Precisamos adotar o trabalho como princípio educativo, para que os alunos saiam do ensino médio preparados para trabalhar, se assim for seu projeto de vida. A vida dos estudantes está permeada de ciência e tecnologia e a escola precisa trabalhar estas questões com seus alunos, para que possam fazer relação com as tecnologias que eles têm acesso e os conteúdos que aprendem na escola. A cultura é uma forma de conhecimento de grande importância, é necessário abordar a história da cultura afro-brasileira e dos indígenas como importantes para nossa formação.
O ensino médio noturno vai ser concluído em quatro anos? A carga horária vai ser mantida?
Isso ainda não foi definido. Para que o ensino médio seja para todos, é necessário que possa atender bem os alunos, de maneira criativa, que os atraia à escola. No diurno pode aumentar a carga horária, mas no noturno, por inúmeras razões como trabalho, horário de voltar para casa, não se pode aumentar esta carga horária. Mas é preciso manter as 240 horas no noturno, para que estes estudantes possam ter educação de qualidade também. Se para isso acontecer, a carga horária não couber em 3 anos, que se aumente mais 2 meses, 6 meses, seja quanto for, mas que a carga horária mínima seja mantida.
Além da possibilidade de aumentar a carga horária, há outros projetos para melhorar os resultados desses estudantes do noturno?
Além disso, há também uma flexibilização no ensino noturno, de maneira que 20% da carga horária poderá não ser presencial. Queremos garantir ensino de qualidade para todos e para isso as escolas poderão criar novas formas.
Uma escola do eixo das artes, por exemplo, não vai limitar o estudante que quer seguir a área de exatas, por exemplo?
Com certeza não. As escolas poderão priorizar um campo, mas os outros conhecimentos continuarão sendo oferecidos. Não se trata de ser um ensino onde apenas uma área será vista, mas as outras estarão inseridas no currículo de alguma forma. A escola terá liberdade para direcionar essa grade, vai depender do seu projeto político pedagógico.
O senhor acredita que o ministro da Educação Fernando Haddad vai homologar essa decisão?
Vai homologar sim, sem problemas. Não vejo motivos para que isso não ocorra. A decisão foi debatida e discutida com universidades, escolas, educadores, estudantes e secretarias de Educação.


Fonte: Jornal A TARDE, 23 de maio de 2011, página A10.

22 de mai de 2011

Workshop dia 26 de maio -Movimentando e Educando à luz dos valores humanos

 
 
O que é:


Workshop para pessoas que se interessam em articular em uma abordagem teórico vivencial, os valores humanos, a partir da técnica da dança do ventre.


O que pretende:


Sensibilizar os participantes sobre a energia a prática dos valores humanos, potencializando-o através de técnicas da arte milenar da dança do ventre.


Público Alvo:


Mulheres interessadas em adentrar, através da prática e da teoria, os valores humanos, e sua correspondência corporal/psíquica.


Horário:


19:30 às 21:30


Investimento(apenas para quem não está matriculada no curso regular):


R$40,00


Informações e Inscrições: tarhira@yahoo.com.br/(71)9288 8372

19 de mai de 2011

Sábado dia 21/05/2011 -Palestra com Miliane Tahira no CEPA




Neste sábado (21.05.11) às 14h, na sala B3 da Faculdade 2 de Julho, localizada no bairro do Garcia, o professor Germano Machado, continuará sua explanação sobre FILOSOFIA DO KARDECISMO. Em seguida, a psicóloga e professora de danças árabes Miliane  de Lemos Vieira  vai proferir uma palestra cujo tema é: DESDOBRAMENTOS POSSÍVEIS DA DANÇA DO VENTRE ENQUANTO RECURSO TERAPÊUTICO. Logo após, teremos apresentação de voz e violão com Antônio Lázaro. Entrada Gratuita.

17 de mai de 2011

17 de maio - Lua cheia em touro -Festival de Wesak



“Nenhum preço que nos seja exigido será demasiadamente alto para sermos útil à Hierarquia no momento da Lua Cheia de Touro, o Festival de Wesak. Nenhum preço é demasiadamente alto para obtermos a iluminação espiritual possível, particularmente neste momento.” Djwhal Khul. WESAK = A Lua Cheia de Touro ocorrerá no dia 17 de maio de 2011, terça-feira, às 8h 09min - horário de Brasília.

O Festival de Wesak é uma celebração anual, que acontece no momento do Plenilúnio [ lua cheia ] do signo de Touro, quando a bênção de Deus é transmitida à Terra, por intermédio de Buda e de Seu Irmão, o Cristo. Paralelamente ao acontecimento espiritual interno, tem lugar a cerimônia física externa, num pequeno vale do Tibet, no Himalaia. O sonho, lenda ou acontecimento pode ser descrito da seguinte forma:

Existe um vale, situado ao pé do Himalaia tibetano, numa altitude bem elevada, rodeado por montanhas, exceto na face nordeste, onde existe uma abertura estreita. Esse vale tem a forma de uma garrafa, com o gargalo voltado para nordeste, abrindo-se para o sul. No extremo norte, perto da abertura, há uma grande rocha plana. As encostas das montanhas estão cobertas de árvores, mas no vale não há árvores nem arbustos – ele está coberto por um tapete de pasto duro.

No momento do Plenilúnio de Touro, começam a chegar peregrinos, homens santos e lamas, que vão ocupando a parte sul e central, deixando o extremo nordeste relativamente livre. Ali, segundo diz a lenda, se congrega um grupo de Grandes Seres que são os custódios, na Terra, do Plano de Deus para o nosso planeta e para a humanidade. Com sua sabedoria, amor e conhecimento, formam uma muralha protetora para a nossa raça, tratando de guiar-nos da escuridão para a luz, do irreal para o real, e da morte para a imortalidade. Este grupo de conhecedores da divindade se coloca nos limites do vale, em círculos concêntricos, de acordo com o grau de desenvolvimento iniciático, preparando-se para um grande Ato de Serviço.



A GRANDE INVOCAÇÃO (Recitada no Presente)

Do ponto de Luz na Mente de Deus,
Flui luz às mentes dos homens;
A Luz desce à Terra.

Do ponto de Amor no Coração de Deus,
Flui amor aos corações dos homens;
O Cristo está na Terra.

Do centro onde a Vontade de Deus é conhecida,
Guia o Propósito as pequenas vontades dos homens,
O Propósito que os Mestres conhecem e servem

Do centro a que chamamos raça dos homens
Realiza-se o Plano de Amor e de Luz
E sela-se para sempre a porta onde habita o mal.

A Luz, o Amor e o Poder restabelecem o Plano na Terra,
Hoje e por toda a Eternidade, Amém.

14 de mai de 2011

Videoconferência - Capoeira Iluminada -PROINFANTIL/GEPEMAE

Acontece essa semana - dia 18/05/2011




Aberto ao público pela NET, Vivencialmente no Instituto Anísiso Teixeira, ou pelos Pólos de transmissão em Eunápolis, Valença, Vitória da Conquista, Feira de Santana, Itaberaba e Barreiras.

Quem quiser assistir pela NET é só acessar o site:

http://www.iat.educacao.ba.gov.br/

e clicar no link: videoconferência ao vivo.

11 de mai de 2011

Cordel de dança do ventre/ Recitado em palestra de Miliane Tahra no CEPA , por Antonio Carlos de Oliveira Barreto




Dizem que a dança do ventre
tem origem oriental
talvez do Antigo Egito
Para tornar-se atual
Além da coreografia 
é bastante sensual.

É também um ritual
De tradição milenar
Religioso e Sagrado
Para se ver e dançar
Que no mundo inteiro agora
Tornou-se bem popular.

A mulher pode mostrar
Toda criatividade
Não importa qual a cor
Religião ou idade:
O que importa é mostrar
Sua sensualidade.

Através da música árabe
Tem-se o fundo musical
Em que a bailarina dança
Sob um belo instrumental
Que um grupo executa
De uma forma magistral.

É também fundamental
Que haja integração
Entre bailarina, músico
E o povo em ação
Porque a Dança do Ventre
Requer muita atenção.

Haja improvisação
Na arte da bailarina
E pra isso é necessário
Treinamento e disciplina
Quando ela entra em cena
O seu corpo ilumina.

Haja muita adrenalina
E também força motriz
Que está direcionada
Sobretudo nos quadris.
Quando o ritual termina:
Todo mundo pede bis!

Quem entende sempre diz
Que todos os movimentos
Estão bem relacionados
Com os quatro elementos
ÁGUA, TERRA, FOGO E AR:
Elevando os sentimentos.

A TERRA é um elemento
De força e sustentação
Então deve a dançarina
Pisar bem firme no chão
Pra sentir a realidade
E dosar a emoção.

O elemento ÁGUA então
Tem que ser bem trabalhado
Pois o corpo humano tem
Muito líquido acumulado
E seu desequilíbrio
Causa apego exagerado.

O FOGO acumulado
Nunca pode está ausente
Se a fogueira apagar
O corpo fica doente
Então deve a bailarina
Se manter bem caliente!

Pra ser mais eficiente
Deve a musa atentar
Para todo benefício
Que proporciona o AR
elevando a intuição
Que nos põe a relaxar.

A mulher pode explorar
Sua criatividade
Expandindo a consciência
E a sensualidade
Pois ela já traz consigo
Dom e sensibilidade.

Tendo então habilidade
Deve a dançarina estar
Leve e solta no tablado
Para assim poder brilhar
Com o corpo, com a mente
Sobretudo com o olhar.

Não pense que é vulgar
Essa dança oriental
É uma dança valorosa
Muito mais que sensual
Além de ser terapêutica
É também transcedental.

Essa dança não faz mal
Ela nos traz benefícios
Ativa a circulação
Elimina certos vícios
Deixa o corpo renovado
E longe dos precipícios.

Já existem até indícios
De curas emocionais
Que afetam as mulheres
Com problemas hormonais
Além de outras vantagens
Que a dança do ventre traz.

Não queira ficar pra trás
Busque logo uma instrutora
E comece a praticar
Essa dança sedutora,
Atraente, sensual,
Genial e curadora.

E na hora da escolha
De uma mestra bailarina
Esteja bem informada
Se ela realmente ensina
A rigor, critério, arte,
Muito amor e disciplina.

Seja uma bailarina
Sem pensar no estrelismo
Mergulhe nessa aventura
Com humildade e dinamismo
Transmitindo essa arte
Nas ondas do altruísmo!

O exibicionismo
Deve ser eliminado
Porque a Dança do Ventre
É algo mais que sagrado
Que nas asas do mistério
deixa o corpo iluminado.!

Quem quiser ser informado
Com bastante consistência
Não deixe de pesquisar
Com afinco e consciência
Indo além do meu cordel
Com coragem e persistência.

Barreto pede licença
Para então finalizar
Esses versos de cordel
Com o fim de clarear
A Deusa Dança do Ventre:
Essa arte milenar!

Salvador, 05 de dezembro de 2008. Recentemente recitado no CEPA, em 06 de maio de 2011, durante a palestra de Miliane Tahira sobre a dança do ventre como recurso estruturante e inclusivo para pessoas deficientes.

Sobre o autor:

Antonio Carlos e Oliveira Barreto, natural de Santa Bárbara/Ba, reside em Salvador. Professor, poeta,cordelista, tem vários trabalhos publicados.

e-mail:acobar@bol.com.br 


 






10 de mai de 2011

Grupo Tarhira - Miliane Tahira e Ana Zahira



Nos anos de 2005. Miliane Tahira e Ana Zahira fazem apresentação em evento vivencial, restrito a um número limitado de participantes do Espaço Tarhira.

Vale a pena conferir.

7 de mai de 2011

Abertura do Projeto de Extensão Conhecimento e Movimento


 
 
Sucesso total, estamos com lista de espera para as oficinas!!!!







Algumas vezes você (artista, educador ,estudante, ou simplesmente, amante do conhecimento) já se perguntou o que é de fato, a tão falada exclusão??

De onde ela vem??? Quais os recursos inclusivos???? O que é corpo, sensorialidade, ludicidade, educação, arte, cultura???? Quais os pontos de encontro e distanciamento entre esses saberes???? Onde entram os projetos sociais... qual o papel da História, do movimento dançante???? Como e onde tudo isso se originou historicamente???? Qual o papel histórico da arte da dança do ventre, da poesia e de outros recursos arteeducativos???

Desamarre-se de cadeiras e mesas, retire os véus dos pré conceitos, e permita-se ao movimento....ao movimento físico, sensorial e psíquico do novo, onde podemos reconhecer as nossas interações com as múltiplas dimensões da vida e vivenciar o real significado das relações.

Abra-se... permita-se ao deleite e plenitude da experiência....pois, juntos, realizaremos o conhecimento através da movimentação artística/literária/lúdica tendo como horizonte a integração dos saberes.

Utilizando-se de vozes que tocam o saber sensorial como a poesia, música, e dança do ventre, trataremos de métodos possibilitadores da inclusão social de maneira ampliada e inovadora!!!!! Desta forma, estaremos construindo uma educação que não mais privilegia o intelecto em detrimento da corporeidade, do sensível, do lúdico e da espiritualidade.

Em face aos novos desafios da contemporaneidade, cada vez mais complexos, globais e imprevisíveis, faz-se necessário uma educação que promova uma ampla inclusão, que leve em conta todas as dimensões do ser humano e que possa re-avaliar o papel da intuição, da poesia, da sensibilidade e do corpo no processo de construção do conhecimento.



Carta/Projeto e Focalização: Miliane Tahira e Tássio Revelat



Projeto de Extensão coordenado pelo Professor Dr. Cleverson Suzart - GEPEMAE (Grupo de Extensão e Pesquisa sobre as Matrizes Antropofágicas em Educação) Maiores informações acerca da programação do curso e do currículo dos educadores do Projeto:



http://artistasdesantoamarodeipitanga.ning.com/profiles/blogs/oficinas-sensibilizadoras-e

6 de mai de 2011

Miliane Tahira - solo clássico em 2007 -Saudade não tem idade!!!



Em homenagem ao Chakra cardíaco(coração) Miliane Tahira faz um solo de dança clássica no ano de 2007.
Saudade não tem idade!!!!!!! Apresentadora Mari Oliva. Participação especial - Terapauta Andréa Magnoni.