21 de nov de 2013

Duas Flores

Duas Flores

(Castro Alves)


"São duas flores unidas
São duas rosas nascidas
Talvez do mesmo arrebol
Vivendo, no mesmo galho
Da mesma gota de orvalho
Do mesmo raio de sol
Unidas, bem como as penas
Das duas asas pequenas,
De um passarinho do céu...
Como um casal de rolinhas
Como a tribo de andorinhas
Da tarde, num frouxo véu
Unidas, bem como os prantos
Que em parelha descem tantos
Das ´profundezas do olhar
Como o suspiro e o desgosto
Como as covinhas do rosto
Como as estrelas do mar
Unidas...ai quem pudera
Numa eterna primavera
Viver, qual vive esta flor
Juntar as rosas da vida
Na rama verde e florida
Na verde rama do amor".


18 de nov de 2013

A linguagem e seus infinitos ruídos - lapidação para o crescimento e evolução

A linguagem e seus infinitos ruídos - lapidação para o crescimento e evolução
Mais do que o desentendimento ,que muitas vezes causa angústia, os famosos ruídos de linguagem são presentes aos quais devemos agradecer... 
Sim, aprendi a vê-los assim!!!! 
Toda vez em que se diz uma coisa que é entendida de outra maneira, é sinal que existem, no mínimo,quatro diálogos acontecendo ao mesmo tempo. 
O eu de cada um que comporta os elementos de identidade e estruturação frente essa vida, O inconsciente de cada um que é composto de aspectos que a consciência não permite, ainda, lembrar ou registrar... 
Além desses dois aspectos presentes em cada um, portanto quatro, no mínimo, ainda existem a alma, clamando pela sua translucidez, e as muitas vozes socio-individuais que constituem-nos.. 

Em verdade, no diálogo aparentemente entre duas pessoas, existe uma multidão!!! Por isso devemos agradecer os ruídos - essas muitas vozes que falam ao mesmo tempo- pois eles são capazes de apontar os nós entre esses mundos estruturados pelos eus( que abarcam essas inúmeras vozes) e nos permitem apontar, identificar e analisar para além dessas teias e emaranhados que embaraçam a nossa linguagem/vida/relações... 
E qual o caminho? 
Escutar todas as vozes... com calma, atenção e compreensão.. 
Desenlaçar os nós com cuidado e carinho para não romper outros fios ainda invisíveis.. 
E então, deixar falar a alma e o coração para deixar fluir e mais puro e belo em nós: a nossa alma... Retirando os véus ilusórios das nossas consciências e fazer a nossa alma brilhar... 
conjuntamente e mais lapidadamente... brilhar.... (Miliane Tahira)

11 de nov de 2013

Autoria??? Poema de Miliane Tahira

Muitas vezes o artista se confunde com sua obra, personagens ou afins.. As pessoas são meros instrumentos que compõem obras.... Essas, por sua vez, permanecerão pelo tempo e espaço em que o seu poder de propagação irradie sentido a quem as vê... Obra e artista só devem se confundir no exato instante da criação. Após esse momento, a obra pertence ao mundo!!! ... e o artista?? esse retorna à sua vida, esperando mais um sopro divino... O sopro vem em forma de inspiração que toca os ouvidos, mãos, corpo e coração... Daí ele cria... e sua arte passa a ser parte do infinito... Miliane Tahira.

Horizonte

Se as ondas do mar são os nossos pensamentos E as profundezas do Oceano a nossa essência Então o horizonte infinito é formado pela poética do nosso beijo. Tássio Revelat

1 de nov de 2013

Apresentação da Professora Miliane Tahira no II Sarau Litero Musical da Biblioteca Municipal de Lauro de Freitas

http://www.laurodefreitas.ba.gov.br/2013/index.php?menu=noticia&COD_NOTICIA=878&TITULO_NOTICIA=sarau-litero-musical-prefeitura-promove-segunda-edicao-da-iniciativa Vejam as fotos: http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2Fwww.laurodefreitas.ba.gov.br%2Fgaleria%2F72157637190831223%2Cii-sarau-litero-musical-biblioteca-municipal-nazare-araujo.html%23.UnOzm3CkrOM&h=DAQEaAjmB&enc=AZNi-yKLs4Pj2KFJgZZUYNTpCVCvari26hVSy_bg5BoZ39p-eX9IcHq6_zN42RfFiML9AsVFD7RRJAgHq0YQ521qCr6rA1Yx6oDxNnqxYFmxY8PeBJmqascirzUJReSpzZ865Cx3dzAInTWcAkC5PBq5&s=1