17 de abr de 2014

Feliz páscoa



Desejamos a todos um eterno renascer... Miliane, Tássio, Inana e Luã;

16 de abr de 2014

Posicionamento sobre greve em segmentos que tratam diretamente com a VIDA.



Gostaria de deixar aqui um posicionamento claro a respeito da greve de qualquer segmento cujo produto seja a vida, os seres que fazem parte dela e suas subjetividades e coletividades.
Sou a favor da VIDA e de manifestações de melhoria, mas não posso concordar com o que afeta esses princípios...
Quando escolhemos uma profissão revelamos socialmente uma identidade e uma causa a qual devemos estar atrelado em nossas ações. Quem escolhe ser policial escolhe defender a vida,
quem escolhe ser professor escolhe transformar vidas por meio da aprendizagem e inclusão social e assim por diante...
Por isso me posiciono aqui.... sou a favor de manifestações que sejam aliadas a esses princípios, mas não compactuo com greve nesses segmentos...
greve é para dar prejuízo a empresários, como forma de pressão, paralisando as atividades.Surte efeito com produções objetivas em fábricas, por exemplo: cigarro, cerveja, etc...
não surte efeito em temas subjetivos.........apenas põe em risco, ou prejuízo a própria população que tem que ser aliada dos manifestantes...
Sejamos inteligentes e avencemos no tempo, na história...
Sejamos coerentes e consistentes em nossas revindicações...
Abraços em todos e clamando pela VIDA!!!!!

Miliane Tahira

Translúcidas gotas - poema de Tássio Revelat



Sonhos gigantescos de translúcidas gotas de um ser histórico-cultural. 
Nessa perspectiva da arte/cura...sonhos se transforam em ações.. 
Meta/corações que sublimam histórias
Identidades que revelam memórias
Tudo isso na transcendente e inexplicável arte de se fazer cultura.




Tássio Revelat

9 de abr de 2014

Encontro? Poesia de Miliane Tahira


De tanto refletir
Me perco do meu eu
Sou eu que estou nas palavras
Ou as palavras que estão em mim?

Ser o que (trans)borda
Borda linha por linha
De pensamentos e adventos
Condução mielinizada
Mulher Multifacetada

Escolhendo na cadeia associativa
De infinitas possibilidades
o comunicável...

Em meio a tantas sensações, percepções, conexões...
A metonímia
Que não me explica...

As ideias continuam (trans)bordando
e nessas bordas, bordo...
Navego a bordo nesse mar
Navego por entre palavras
E bordo em cada linha
Em rendas e tecituras
metáforas, descrições, discursos

Que enredados em argumentos
Propõem o encontro
Eterno devir..
Entre o ser e o não ser
Ilusão de explicar
O comunicável e o incomunicável
Indissociável?

Miliane Tahira