24 de mai de 2014

Chama mística - poema de Tássio Revelat

Na chama mística- rizomas e espirais de canções e eternidades- os nossos corpos, em unidade, se vestem do sagrado e translucidamente nos embriagamos de vida, poesia e vinho. 

T. Revelat.





21 de mai de 2014

Prisão de alma - poema filosófico de Miliane Tahira

A prisão da alma muitas vezes está numa ilusão que criamos de pertencimento... 
em realidade esse pertencimento pode estar relacionado a coisas concretas ou abstratas como sentimentos que criamos para nos aconchegarmos em roupas quentinhas, mas que nunca iremos vestir... Nossa real roupa é a nudez e só quando alcançamos a capacidade de nos despir é que nos vestimos com roupas que de fato caibam na nossa pele, sem a ilusão buscada pela nossa alma para preencher um vazio, por não conhecermos a nós mesmos e nossa essência luminosa..

Nosso verdadeiro pertence é a liberdade 
Nossa verdadeira veste é a nudez
Nossa verdadeira vida é o sempre
Nosso verdadeiro amor é comunhão...

Miliane Tahira


3 de mai de 2014

Saber de corpo’alma. poema de Miliane Tahira






Saber de corpo’alma

É um saber de corpos’alma
Que nenhuma razão explica
É um simples saber que exprime..
A comunhão do sempre...

Cumplicidade para além das estrelas
Para além mundo: alma –fonte
Eterno saber sentir
Eterno saber ser

Sim (sou) somos
E nesse ser unicidade
A compreensão permanece
Entre o dito e implícito
Entre pernas, pés, sonhos e cores
Escorre a transbordante alma
Que enuncia a sublime verdade

Sim, te quero para além do tempo
Para o espaço do Olimpo
Entre Ambrosias e maçãs..
Retiradas da árvore sagrada.
Em que o ser é claro e límpido..
e a ilusão inexistente
Adormece,
E o desatino, desamanhace!

Miliane Tahira