26 de dez de 2016

Projeto de Dança do Ventre de 2017




2017: Percurso feminino ao longo da história - destacado na linguagem da dança do ventre

Por: Miliane de Lemos Vieira -Tahira (mestre em educação, psicóloga e professora-bailarina de dança do ventre há 20 anos)

O Projeto de Dança do Ventre de 2017 será anual e destacará um tema extremamente importante: a feminilidade vivenciada ao longo da história, da antiguidade aos dias atuais.

Tal conhecimento passará pelos períodos históricos desde a era em que a dança do ventre surgiu, no neolítico antigo, estendendo-se até os dias atuais, retratando a opressão, força, beleza, transformação e resistência sofrida pela mulher e pela dança que a representa.

O projeto se sustenta no tripé educação, dança e autoconhecimento, entendendo a arte como manifestação da alma, estudada em sua profundeza de movimentos e sentimentos, que expressam e transformam!

Venha viver conosco esta experiência de percepção e transformação!!!!!

Inicio: 03 de janeiro de 2017
Local: Academia de Dança Adalgisa Rolim
Dia: Terça-feira
Horário: 20:00 às 22:00h

Obs. Quando da proximidade dos eventos, horários de ensaios poderão ser marcados às quintas,, em local a ser agendado.

Eventos: Acontecerão semestralmente e serão aviados com antecedência!!!

Faça uma aula experimental!!!!

6 de dez de 2016

A intuição é uma sensação, percepção de algo tão sutil e intenso que deixa o ser humano confuso por não acreditar em si mesmo.
Sexto sentido, algo que aperta o peito ou traz leveza e bem estar, subentendido sem palavras, é a direção silenciosa de como agir quando nos sentimos em alguma encruzilhada da vida.
Intuição é um anjo que há na alma, na percepção mais suave, fala e orienta.
A mente nega por "questionar" tudo,
a "consciência" observa e segue pois dificilmente haverá enganos.
Silencie mais, todas as respostas já existem dentro de ti, a intuição é tua parceira, ouça!
Intuição não é mente é alma e alma não entende, apenas sente!

Solange Drago
Solange Drago
Os fios invisíveis tecem o Caminho com o coração e leva ao Sagrado em nós. Não pode ser tocado por mãos comuns e nem vistos por olhos que não enxergam.
Rosiana Ni Carvalho


Da crise aguda surge a possibilidade de mudança.
Do caos surge a necessidade de mobilização.
Na dor surge a urgência de união. 
Da separação surge a imposição de novas articulações.
A semente que foi plantada, um dia virará flor. A flor virará fruto. E é o fruto que nos alimenta. Assim é a lei da natureza, assim é a lei da vida humana. É melhor ser jambo do que limão. É melhor agradecer do que se queixar. É melhor reverenciar do que se lamentar. É melhor ser gentil do que ser hostil. É melhor ser atuante do que inerte. Os tempos atuais exigem posicionamentos, e posicionamentos "sustentáveis" voltados para o coletivo, não para o SEU ego.
O que temos plantado ultimamente? (1)
Se essa não for uma construção permanente, que dispense grandes eventos para que aconteça, vamos nos definhando aos poucos e a decomposição subjetiva chegará, cedo ou tarde, junto com o colapso social.
O que temos "plantado" ultimamente? (2)

Danilo Quinto


No fundo de mim - poema de Miliane Tahira

Aprendi a não ter medo do escuro quando abracei as minhas sombras ..
Aprendi a não sentir solidão por entender que o meu espaço interno é uma bela e forte companhia!
A morte é parte da vida
E a existência é infinitude...

Miliane Tahira


15 de nov de 2016

Música das Esferas


Se ficarmos parados num local com menor índice de ruído possível, escutaremos um som contínuo existente dentro de nós. Esse som representa a soma das frequência diversas que portamos. Podemos chamar esse tom de nota resultante.
No planisfério há também a nota resultante do planeta, de cada sistema solar e do universo.
Por comparação, podemos afirmar que a nota do universo, ou nota musical resultante das sinfonias cósmicas, pode ser representada, na produção da voz humana pela silaba OMN, praticada milenarmente pelos orientais praticantes do yoga, como sistema/modelo sonoro eleito ara expressar a busca de sintonia com essa música cósmica. Buscar afinação e equilíbrio. Há algo curioso: os indivíduos que praticam meditação transcendental com esse princípio adoecem menos. Há pessoas que defendem religiosamente a prática como milagrosa. Mas quando fazemos isso ocupamos nossa cabeça com som e por isso ficamos sem tempo de adoecer ou se preocupar com ou alguma coisa. Por isso, vale, investirmos em gerar um reflexo condicionado para relax, para o tempo, aparentemente, "do nada". Esse é outro aspecto derivado do item música e astronomia.
Tudo passa ser muito interessante e em alguns momentos uma grande viagem, um desafio de ultrapassagens às correntes inexoravelmente cartesianas.
É possível gerar som & saúde a partir das músicas das esferas.
Abraços com sinfonias de som e luz


Prof. e Maestro Givanildo Amâncio.
http://musicaeastronomia.blogspot.com.br/

Bela Flor - Maria Gadu

Bela Flor
Maria Gadú
 


A flor que vem me lembrar
A flor que é quase igual
A flor que muito pensa
A flor que fecha ao sol

Parece a mesma flor
Só muda o coração
Quando se unem são
A flor que inspirou a canção

Bela flor, pouco disse
Gêmea flor, que cresceu no Rio
Bela flor, pouco disse
Gêmea flor, que cresceu no Rio

Que dance a linda flor, girando por aí
Sonhando com amor, sem dor, amor de flor
Querendo a flor que é, no sonho a flor que vem
Ser duplamente flor, encanta, colore e faz bem

Bela flor, pouco disse
Gêmea flor, que cresceu no Rio
Bela flor, pouco disse
Gêmea flor, que cresceu no Rio

Oh, flor, se tu canta essa canção
Todo o meu medo se vai pro vão
Pra longe, longe que eu não quero ir
Mas deixe seu rastro pólen, flor
Pra eu poder te seguir

Bela flor, pouco disse
Gêmea flor, que cresceu no Rio
Bela flor, pouco disse
Gêmea flor, que cresceu no Rio

8 de nov de 2016

Meu querer



O meu querer
invade qualquer espaço
dele nunca me desfaço
eu bordo a ponte do viver.
Renas Barreto

Superar-se



Localize-se
Avalie-se
E vença a si mesmo!!! 


Miliane Tahira

Poderosa Liberdade da Mente
Podemos tocar o que quisermos
Com nossas mãos de Energia
Podemos abraçar quem quisermos
Com nossos braços de Carinho
Podemos amar quem quisermos
Com nosso Coração...de Luz.
Rosiana Ni Carvalho

" Escuridão não se combate... Se ilumina! "




" Escuridão não se combate... Se ilumina! "

A luz não força nada, ela simplesmente ilumina... Não existe luta...
Quando forçamos os outros a aceitarem o que achamos certo, estamos fazendo justamente o contrário. 
É necessário perceber que cada um encontrará a sua iluminação, a sua verdade.
Não adianta forçar...
Todos temos as mesmas ferramentas, mas cada um aprenderá ao seu tempo.
Usar a sabedoria da Água também nos ajuda nesta evolução, ou seja, aprender a contornar os obstáculos, aceitar onde está e quando possível seguir em frente.
Geralmente, tudo que vamos contra com força, se torna mais forte, ou seja, a reação é proporcional à ação. Usando a inteligência conseguimos soluções melhores e mais eficientes.
É necessário parar de ir contra e dar atenção ao que é realmente importante. Aprender a soltar a necessidade de ter razão e ir de encontro ao que nos traz felicidade.
É importante dar atenção a nossa iluminação, a nossa Essência... E perceber que quando conseguirmos o equilíbrio vamos ajudar a todos a nossa volta, pois tudo reverbera, tudo vibra... E o exemplo é muito mais eficiente.
Reflita e permita que a Luz ilumine o seu caminho.

Por onde for... Leve Luz...

A paz começa comigo!

Paulo Sérgio Lopes - Semeador

Magos




Magos

Nascemos sinceros do amor
Pulsamos suaves singelos
Agigantamos na beleza de ser
Agigantamos na beleza de doar
Voamos unidos em pontos cardeais
Somos leves no chão

Amihr El Abdi Athani

Dançar....



Porque dançar é a mais pura oração que estabeleço por meio do meu corpo... Miliane Tahira

Amor Sublime - Buda



E a beleza infinita que a tudo perscruta, ao reconhecer tuas asas, derramará sobre ti o óleo sagrado que purifica, perfuma e mantém vivo o Amor Sublime...
Buda

4 de nov de 2016

Maravilhosas Bruxasss




"São muito estranhas as Bruxas. Gente de coração desarmado, Sem ódios e preconceitos baratos. Gente que fala com bicho e planta, Dança na chuva e se alegra com o sol.... Gente que cultua a Deusa e lhe faz celebrações. Falam de amor com os olhos iluminados, como pares de lua cheia. Gente que erra e reconhece, Cai e se levanta com a mesma energia das grandes mares. Apanham e assimilam os golpes, Tirando lição dos erros e fazendo redentoras suas lágrimas e sofrimentos. Amam como missão sagrada E distribuem amor com a mesma serenidade Com que distribuem o pão. Gente que segue em busca de seus sonhos, Independente das agruras do caminho. Gente que vê o passado como referencial, O presente como luz E o futuro como meta..."
Graça Azevedo

Coração de amor infinito - texto de Miliane Tahira



Meu coração é um poço infinito de amor universal... Só distribuo o que existe em mim, por isso não me verá distribuir outra coisa..
Amor,
Liberdade,
Gratidão,
Vida,
Luz,
Paz,
Mesmo que me atire uma pedra, eu a transformarei em flor, pois percebo que a única coisa que sua alma quer é amor..
Boa noite para todas as belas almas que aqui me lêem,
Acreditem na beleza e na liberdade existente em seus corações...
*O Corpo de Dor*
Por Eckhart Tolle

No caso da maioria das pessoas, quase todos os pensamentos costumam ser involuntários, automáticos e repetitivos. Não são mais do que uma espécie de estática mental e não satisfazem nenhum propósito verdadeiro. Num sentido estrito, não pensamos- o pensamento acontece em nós.
“Eu penso” é uma afirmação simplesmente tão falsa quanto “eu faço a digestão” ou “eu faço meu sangue circular”. A digestão acontece, a circulação acontece, o pensamento acontece.
A voz na nossa cabeça tem vida própria. A maioria de nós está à mercê dela; as pessoas vivem possuídas pelo pensamento, pela mente. E, uma vez que a mente é condicionada pelo passado, então somos forçados a reinterpretá-lo sem parar. O termo oriental para isso é *carma*.
O *ego* não é apenas a mente não observada, a voz na cabeça que finge ser nós, mas também as emoções não observadas que constituem as reações do corpo ao que essa voz diz.
A voz na cabeça conta ao corpo uma história em que ele acredita e à qual reage.
Essas reações são as *emoções*.
*A voz do ego perturba continuamente o estado natural de bem-estar do ser. Quase todo corpo humano se encontra sob grande tensão e estresse, mas não porque esteja sendo ameaçado por algum fator externo – a ameaça vem da mente.*
*O que é uma emoção negativa?*
É aquela que é tóxica para o corpo e interfere no seu equilíbrio e funcionamento harmonioso.
Medo, ansiedade, raiva, ressentimento, tristeza, rancor ou desgosto intenso, ciúme, inveja – tudo isso perturba o fluxo da energia pelo corpo, afeta o coração, o sistema imunológico, a digestão, a produção de hormônios, e assim por diante.
Até mesmo a medicina tradicional, que ainda sabe muito pouco sobre como o ego funciona, está começando a reconhecer a ligação entre os estados emocionais negativos e as doenças físicas.
Uma emoção que prejudica nosso corpo também contamina as pessoas com quem temos contato e, indiretamente, por um processo de reação em cadeia, um incontável número de indivíduos com quem nunca nos encontramos. Existe um termo genérico para todas as emoções negativas: infelicidade.
Por causa da tendência humana de perpetuar emoções antigas, quase todo mundo carrega no seu campo energético um acúmulo de antigas dores emocionais, que chamamos de “*corpo de dor*”.
O “corpo de dor” não consegue digerir um pensamento feliz. Ele só tem capacidade para consumir os pensamentos negativos porque apenas esses são compatíveis com seu próprio campo de energia.
Não é que sejamos incapazes de deter o turbilhão de pensamentos negativos – o mais provável é que nos falte vontade de interromper seu curso. Isso acontece porque, nesse ponto, o “corpo de dor” está vivendo por nosso intermédio, *fingindo ser nós*. E, para ele, a dor é prazer. Ele devora ansiosamente todos os pensamentos negativos.
Nos relacionamentos íntimos, os “corpos de dor” costumam ser espertos o bastante para permanecer discretos *até que as duas pessoas comecem a viver juntas* e, de preferência, assinem um contrato comprometendo-se a ficar unidas pelo resto da vida.
*Nós não nos casamos apenas com uma mulher ou com um homem, também nos casamos com o “corpo de dor” dessa pessoa.*
Pode ser um verdadeiro choque quando – talvez não muito tempo depois de começarmos a viver sob o mesmo teto ou após a lua-de-mel – vemos que nosso parceiro ou nossa parceira está exibindo uma personalidade totalmente diferente. Sua voz se torna mais áspera ou aguda quando nos acusa, nos culpa ou grita conosco, em geral por uma questão de menor importância.
A essa altura, podemos nos perguntar se essa é a verdadeira face daquela pessoa – a que nunca tínhamos visto antes – e se cometemos um grande erro quando a escolhemos como companheira. Na realidade, essa não é sua face genuína, *apenas o “corpo de dor” que assumiu temporariamente o controle.*
Seria difícil encontrar um parceiro ou uma parceira que não carregasse um “corpo de dor”, no entanto seria sensato escolher alguém que não tivesse um “corpo de dor” tão denso.
O começo da nossa libertação do “corpo de dor” está primeiramente na compreensão de que o temos.
*É nossa presença consciente que rompe a identificação com o “corpo de dor”. Quando não nos identificamos mais com ele, o “corpo de dor” torna-se incapaz de controlar nossos pensamentos e, assim, não consegue se renovar, pois deixa de se alimentar deles. Na maioria dos casos, ele não se dissipa imediatamente.*
No entanto, assim que desfazemos sua ligação com nosso pensamento, ele começa a perder energia.
A energia que estava presa no “corpo de dor” muda sua freqüência vibracional e é convertida em “Presença”.

Vive-ser



Vive-ser


O que faz da vida, uma vida? Uma existência? 
Nascemos. Nos ensinam significados. Construímos sentidos. Criamos atribuições. Encaixamos fatos, acontecimentos, pessoas e atos. Encaixados, encaixotamos e, as vezes, enviamos. Compartilhamos os sentidos e significados e eles se tornam um novo volume nas prateleiras de nossas bibliotecas de recordações e expectativas. Rotulamos uma sessão de estantes como tristezas outra como felicidades. E criamos outras e outras sessões. Nesse emaranhado de escadas, andares , sessões, volumes e páginas vamos sendo submetidos a um gestor: o tempo. Só conquistamos a compreensão de tudo quando nós apropriamos do feixe de chaves meticulosamente identificadas: experiência, entendimento, aceitação e identidade. 
Sendo quem somos. 


Uosnei Moncorvo

Transmutação



Estamos mudando.
Não aceitamos mais os mesmos velhos e obsoletos padrões.
Nem um Deus morto ( porque Ele vive) pregado em uma cruz.
Nem gritos porque Deus não é surdo, Ele é Onisciente, Onipotente e Onipresente.
Ele é Tudo em Todos, não faz acepção de pessoas ou castas.
Não queremos mais as mentiras que não servem para nada
Porque nada há que fique encoberto.
Não queremos mais as separações que negam a identidade humana.
Não temos mais o mesmo número de cadeias no DNA.
Almejamos as Doze cadeias (fitas),
Uma dimensão sem hipocrisia ou maldade.
Queremos um Coração Sagrado.
Um viver em Paz.
Um Ser na Luz.
Não queremos ter, queremos ser.
Não queremos viver mais o medo.
Do fracasso, da falta de oportunidade de trabalho,
E da miséria em todas as suas cruéis faces.
Queremos poder sentir Felicidade.
Queremos sentir Liberdade.
Queremos sentir Amor.
Rosiana Ni Carvalho

1 de nov de 2016

A Inteligência Pessoal do professor como requisito essencial para sua prática profissional

No Seminário para Educadores, Desafios da Contemporaneidade, Julio Furtado propõe aspectos favorecedores da prática profissional do professor, a partir da análise de fatores que dificultam o seu fazer pedagógico vivenciado todos os dias.

Para integrar características que possibilitem um fazer pedagógico mais eficiente o autor defende que o educador deve agregar atitudes que juntas compõem uma inteligência pessoal capaz de tornar a prática educativa mais viva e significativa, integrando os objetivos de aprendizagem necessários com os atores educacionais - escola, família e alunos.

Para o pensador e estudioso da educação, a inteligência pessoal é composta de vinculação afetiva, elementos culturais, olhar inclusivo e postura apreciativa. Sem algum destes elementos a prática do professor torna-se esvaziada e destituída de sentido.

Refletindo sobre as características elencadas aproveito para extrapolar o conceito de vínculo afetivo como algo que ultrapassa a relação professor aluno, mas reside em todo ato de educar e compreender o processo educacional, como escolha de ser educador e a identidade docente que deve ser compreendida por meio de perguntas como:

- Qual o vinculo que estabeleço com a minha profissão?
- Por que escolhi ser educador?
- O que sustenta a minha prática?
- Por que me mantenho nela?

Outro fator trazido por Furtado em sua palestra diz respeito a Cultura e quando falo de Cultura tenho que entender que somos seres individuais que nascem em uma dada sociedade, em uma época específica, sendo composto por ela e tendo o poder de transformar e manter aspectos que perpassam o meio social, natural que me constituem e para isso há que se ter problemas, desafios e dúvidas que me façam criticar e formar concepções com as quais me filio, mas que também me distancio com escuta livre para formar e propor novas teorias e transformações.

Mais uma ideia que amplio trazida pelo autor é quanto a característica do olhar inclusivo.
Nosso raciocínio e a forma de organizar ideias e pensamentos é logico-matemática. Para construir o conhecimento generalizamos e abstraímos, trazemos para a internalização quando os aspectos apresentados e vivenciados atingem o nosso campo de sentidos.

O sentido é anterior e posterior ao significado, já temos - mesmo uma criança - pré-noções - e mesmo quando o significado é apresentado e entendido dentro da sua construção social ele não se restringe ao que foi estabelecido pela cultura, pois o sujeito opera com suas construções e re-construções trazendo novos e inesgotáveis sentidos, daí a (re)significação das coisas e do mundo.

Diante de qualquer situação ou sujeito que me traz a marca do diferente ou da diferenciação tendo, como sujeito cognoscente, a classificar. A importância se dá em ultrapassar a classificação, não negá-la, pois esta é importante para um ponto de partida. 

Ultrapasso a categorização por meio da compreensão, contextualização, ética, antítese e síntese.

Preciso entender que existem agrupamentos mas em todo agrupamento há diferenciações e que estas são necessárias para o crescimento. Aprendemos com a diferença, ampliamos o olhar. O igual nos fortalece, o diferente nos ultrapassa, instiga e faz crescer.

Toda experiência humana transita nas identificações e diferenciações, mas o olhar separatista não aceita as diferenças, enquanto o olhar inclusivo considera, aprende com ela e promove transformações em todos os envolvidos. O olhar inclusivo é o olhar do que acredita, potencializa e liberta.

A postura apreciativa pode ser ilustrada pelo olhar contemplativo, do artista ou do apreciador de arte que deixa-se sucumbir pela mais bela poesia existente no outro, seja em pensamentos, atitudes, discurso, fazeres.

Reconhecer que o outro é uma obra de arte e que serve para ser apreciado é despertar nele a apreciação, o deleite e amor pelo conhecimento construído e reconstruído a todo instante.

É o que o autor traz como : "Se podes olhar vê, se podes ver repara".  Em cada uma destas óticas o olho assume uma função. O olhar é o olho que visualiza, o ver é estar para além do olhar, há um destaque no ver e o reparar é o olho minucioso que se debruça em uma investigação ainda mais minuciosa.

Nós educadores temos que reparar. Cada sujeito com o qual trabalhamos é único e, portanto, cheio de pistas para que nós possamos aprender a ensiná-lo. Se reparamos ele dirá o caminho que devemos percorrer para tanto.

Uma outra citação que o autor faz uso e toma emprestada de Paulo Leminski:

"Vai me ver com outros olhos ou com os olhos dos outros?"

Nós precisamos ultrapassar o olhar social e individual de outras pessoas e nossa própria forma de olhar para que o outro possa ser uma fonte inesgotável de descobertas e de possibilidades e não de estancamentos. Para isso Furtado conclui que o professor precisa pegar os olhos dos alunos emprestados.

Ver por meio do aluno significa se autoavaliar. Ver com os olhos do aluno significa seguir as pistas que ele dá para o seu próprio processo sobre o qual ele sabe muito mais do que eu. Para isso o autor sustenta a necessidade do amor pedagógico que é aquele em que o educador acredita, torce e aceita (acolhe).

Importante destacar que o acolher não significa concordar, significa reconhecer que o outro é um ser que merece total respeito, mesmo que eu discorde dele. 

Nas interfaces de aprendizagem em que há o professor e alunos existem três tipos de mediação : relacional, cognitiva e de aprendizagem. Estabeleci, nestes campos trazidos por Furtado uma correspondência com o que trago na minha dissertação do mestrado quando utilizo as categorias de Zabala relacionando-as a mediação - Atitudinal - o que ele traz como relacional, Conceitual que ele traz como cognitiva e  procedimental que ele traz como didática.

Os saberes são pensados em lugares diferentes trazendo pontos convergentes o que reflete o período em que estamos vivendo historicamente em que urge uma atenção para o sentir, para o ser , para o fazer significativo para todos os envolvidos.

Expõe que a gestão da conduta é resultante da combinação de três fatores: atitudes docentes, poder e visão da indisciplina. A visão da indisciplina que o professor tem vai gerar suas atitudes docentes e ambas estão relacionadas a sua compreensão sobre o poder.

Para John Galbraith, o poder passa por três fases históricas bem demarcadas e ainda hoje se sustenta nestas três, embora socialmente seja defendido sobre o prisma mais atual.

A primeira perspectiva de poder é chamada pelo autor de poder condigno e está relacionado ao poder de punição.
A segunda forma é o poder compensatório que tá articulado com as trocas e barganhas... ex. vc faz isso em troca de...
E o terceiro poder, mais defendido nos dias atuais e mais lógico, embora nem sempre utilizado,é o poder condicional. Este está alicerçado no poder pelo convencimento.

Ora, se o sujeito tem uma visão de mundo hierárquica, não conseguirá ter atitudes democráticas, nem tampouco utilizar o poder de convencimento. Ao contrario, irá impôr a sua forma de pensar, o que não fará sentido algum para o outro.

Desta forma, a visão é preponderante sobre atitudes e sustentação de poder.

Furtado sustenta que as atitudes docentes são marcadas pelos seguintes fatores:

- medo
- desmotivação
- deserção -o famoso deixa para lá
- transferência - o problema é a família, é o sistema.. etc
- enfrentamento

Estes podem acontecer separadamente, simultaneamente ou com maior predominância de uns do que de outros, mas são características comuns nas atitudes educacionais e precisam ser vistas para serem enfrentadas, pois não há educação sem reflexão do professor sobre si e sobe o seu fazer.

Aponta para a visão tradicional da indisciplina extremamente comum ainda hoje  que gera atitudes de exclusão, violência, bullying, invisibilidade, indisciplina, vigilância, evitação, regras arbitrárias, delação, pressa e ignorância.

Essas atitudes, em nada, geram conhecimento, ao contrário, distanciam, já que o conhecimento só é internalizado quando passa pelos campos significativos do sujeito.

Na visão construtiva da indisciplina o comportamento do professor caminha em direção a aprendizagem, pois promove participação vendo o sujeito como parte do coletivo preservado em sua individualidade e construindo regras enquanto princípios. Trabalha na vertente do desenvolvimento, planejamento, autonomia e oportunidades.

Assim, refletindo sobre as proposições trazidas pelo palestrante percebo o quanto a educação tem que se voltar para inteligência pessoal dos educadores, o quanto ainda há pouco investimento em formações que fortaleçam a dimensão existencial do ser, fazer e existir.

Conceitos são fundamentais, mas as atitudes humanas só são de fato mexidas quando se trabalham as emoções e estas tem que ser destacadas em processos formativos, bem como devem ser levadas em conta na avaliação de cada aluno e autoavaliação os profissionais que estão inseridos no meio educacional.

Miliane Tahira



31 de out de 2016



"Não é sobre ter todas as pessoas do mundo pra si
É sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti
É sobre cantar e poder escutar mais do que a própria voz
É sobre dançar na chuva de vida que cai sobre nós
É saber se sentir infinito num universo tão vasto e bonito
É saber sonhar
Então fazer valer a pena cada verso daquele poema sobre acreditar
Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu
É sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu
É sobre ser abrigo e ter morado em outros corações
É assim ter amigos contigo em todas as situações
A gente não pode ter tudo, qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso eu prefiro sorrisos e os presentes que a vida trouxe pra perto de mim
Não é sobre tudo o que seu dinheiro é capaz de comprar e sim sobre cada momento sorriso a se compartilhar
Também não é sobre correr contra o tempo pra ter sempre mais
porque quanto menos se espera a vida já ficou pra traz
Segura teu filho no colo 
Sorria e abrace seus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem bala parceiro e a gente é só passageiro prestes a partir"

Ana Villela - 

Música -https://www.youtube.com/watch?v=xDd7TvED03A



A Igreja diz: o corpo é uma culpa. 
A Ciência diz: o corpo é uma máquina. 
A publicidade diz: o corpo é um negócio. 
E o corpo diz: eu sou uma festa.
(Eduardo Galeano)

Convite- dança



A Dança
Eu lhe mandei meu convite, a nota inscrita na palma da minha mão pela chama da vida.
Não dê um salto gritando: “Sim, é isso que eu quero!
Vamos em frente!”
Apenas se levante em silêncio e dance comigo.
Mostre-me como você segue seus desejos mais profundos, descendo em espiral em direção à dor dentro da dor, e lhe mostrarei como eu me volto para dentro e me abro para fora para sentir o beijo do Mistério, doces lábios sobre os meus, todos os dias.
Não me diga que você quer encerrar o mundo inteiro
no seu coração.Mostre-me como você evita cometer outra falta sem se desesperar quando sofre uma agressão e tem medo de não receber amor.
Conte-me uma história sobre quem você é, e veja quem eu sou nas histórias que estou vivendo.E juntos nos lembraremos que cada um de nós sempre tem uma escolha.
Não me diga que as coisas serão maravilhosas… um dia.
Mostre-me que você é capaz de correr o risco de ficar
completamente em paz, totalmente à vontade com a maneira como as coisas são neste exato momento, e também no momento seguinte, e no seguinte…
Já ouvi histórias demais sobre a audácia heroica.
Conte-me como você desmorona quando esbarra no muro, o lugar que você não pode transpor pela força da sua vontade.
O que conduz você para o outro lado desse muro, para a frágil beleza da sua condição humana?
E depois de mostrarmos um ao outro como definimos e mantivemos os limites claros e saudáveis que nos ajudam a viver lado a lado um com o outro, vamos correr o risco de lembrar que nunca deixamos de amar em silêncio aqueles que um dia amamos
em voz alta.
Leve-me para os lugares do planeta que ensinam você a dançar, os lugares onde você pode correr o risco de deixar o mundo partir seu coração, e eu conduzirei você aos lugares onde a terra debaixo dos meus pés e as estrelas no céu fazem meu coração ficar inteiro de novo, e de novo.
Mostre-me como você cuida dos negócios sem deixar que eles determinem quem você é.
Quando as crianças estão alimentadas mas as vozes
internas e as externas gritam que os desejos da alma têm um preço alto demais, vamos lembrar um ao outro que o que importa não é o dinheiro.
Mostre-me como você oferece ao seu povo e ao mundo as histórias e as canções que você quer que os filhos de nossos filhos recordem, e eu revelarei a você como eu me empenho, não para mudar o mundo, mas para amá-lo.
Sente-se do meu lado e compartilhe comigo longos momentos de solidão, conhecendo tanto a nossa absoluta solitude quanto o nosso inegável pertencer.
Dance comigo no silêncio e no som das pequenas palavras cotidianas, sem que eu me responsabilize no fim do dia por nenhum de nós dois.
E quando o som de todas as declarações das nossas mais sinceras intenções tiver desaparecido no vento, dance comigo na pausa infinita antes da grande inalação seguinte do alento que nos sopra a todos na existência, sem encher o vazio a partir de dentro ou de fora. Não diga “Sim!”. Pegue apenas a minha mão e dance comigo.
Oriah Mountain Dreamer

Eu aos seus olhos



Sou como você me vê...posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,depende de quando e como você me vê passar...suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras, sou irritável e firo facilmente. Também sou muito calma e perdoo logo.
Não esqueço nunca. Mas há poucas coisas de que eu me lembre...Tenho felicidade o bastante para ser doce,dificuldades para ser forte,tristeza para ser humana e esperança suficiente para ser feliz. Não me deem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre...Sou uma filha da natureza:quero pegar, sentir, tocar, ser.
E tudo isso já faz parte de um todo, de um mistério.
Sou uma só... Sou um ser...a única verdade é que vivo.
Sinceramente, eu vivo.
Clarice Lispector

Amor sentimento mais puro



O amor é o sentimento mais puro e grandioso que existe, através dele tudo se modifica, tudo se transforma.
A tristeza através do amor dá passagem ao sorriso..
A mágoa através do amor dá passagem ao perdão verdadeiro…
A doença através do amor dá passagem para que a cura venha…
Só a força do amor pode levantar aquele que se encontra deitado sem força para levantar…
Só a força do amor pode fazer caminhar aquele que não tinha mais pernas para andar…
Amar incondicionalmente significa renunciar defeitos e esculpir as virtudes pautadas pelo esforço, dedicação e muita coragem.
Apegue-se ao amor em tudo que for necessário na vida, pois só ele é capaz de dar a reação necessária àquele que precisa de algo maior para continuar.
O amor cura e o amor constrói.

(Autor Desconhecido)

A viagem de mim mesmo



“Mas não tenho mais tanta pressa. Comecei a aprender a ser mais gentil com o meu passo. Afinal, não há lugar algum para chegar além de mim. Eu sou a viajante e a viagem.”
Ana Jácomo

💖FELIZ DIAS DAS MULHERES SÁBIAS!💖




"BRUXAS... é como chamam por aí...
As insubordinadas, divergentes, antenadas.
Sábias, ditas loucas... profundas, espiritualizadas.
As perigosas...
Mulheres que lutam...contra preconceitos, ignorância, machismo, opressão, violência, exploração.
Mulheres que amam, sem medo de parecerem impuras, se envolvem, se entregam, se rendem...verdadeiramente femininas...
Mulheres que cuidam, dos próprios filhos, dos filhos de todos, das chagas de muitos, das milenares e desprezadas tradições originais, da fé, da natureza, dos conhecimentos intuitivos, marca que jamais deveria ser apagada...
Mulheres que guardam...em si, o poder de gestar, de nutrir, de guiar...a vida!
Mulheres que preservam...as últimas chances do mundo sobreviver ao caos...os saberes simples das ervas, da compaixão, do respeito a toda Criação Divina.
Sim...as guardiãs de tudo que é digno e eterno... tão bem resolvidas.
Que despertam amor e ódio.
Mulheres que servem...e vivem a amparar umas às outras, totalmente descrentes da subcultura da competição.
Mulheres que estudam, leem, observam, questionam, argumentam, se impõem...
Mulheres que sofrem...por não se ajoelhar ante à repressão dos sistemas...
Mulheres FANTÁSTICAS...." 


Gi Stadnicki


💖FELIZ DIAS DAS MULHERES SÁBIAS!💖

25 de out de 2016

"O meu medo afeta o meu meio" - reflexão de Miliane Tahira sobre palestra de Shinyashki,



Assisti a palestra de Eduardo Shinyashki, em Desafios da Contemporaneidade e um dos destaques que tornou-se relevante para mim foi quando o citado autor trouxe o seguinte pensamento:

"O meu medo afeta o meu meio"

De fato não temos como efetivar concretizações e afirmar desejos enquanto formos bloqueados e aprisionados pelo nosso próprio medo.

Além de questões energéticas e de pensamentos que estancam fluxos, percebo que este padrão de emoção também reverbera em atitudes que são lidas, sentidas, percebidas por todos que estão em nossa volta.

Enquanto formos aprisionados pelo medo não alcançaremos nossos sonhos e muitas vezes são os desejos mais encantadores e possibilitadores os que nos fazem temer, simplesmente por não nos julgarmos, no fundo merecedores.

Precisamos acessar a nossa essência divina e luminosa e fazermos constantes visitas pra não nos armarmos de todos os mecanismos de defesa e sabotagens estancadores de nossas maiores conquistas!!!

O palestrante expõe ainda o verdadeiro significado etimológico do amor que em sânscrito significa ausência de morte. Ao trazer o conceito do amor expõe que existem quatro tipos de mortes com as quais o ser humano compactua em maior ou menor intensidade dificultando a concretização do seu desejo:

- Morte Mental
- Morte Emocional
- Morte por Atitude
- Morte espiritual

Cada uma destas mortes que podem estar associadas, ou não, impactam negativamente na objetivação das nossas conquistas.

Enfatiza que " Querer é poder" é um jargão incompleto, e acrescenta: "Querer é poder desde que não haja medo ou dúvidas".

De quantas formas tememos e duvidamos impactando na nossa mente?
Quantas estratégias inconscientes utilizamos que impactam na nossa emoção, matando-a?
Como nossas atitudes passivas ou arrebatadoras desmoronam nossos objetivos revelando nossas dúvidas e medos?
Qual o nosso propósito existencial e crença e como ela se torna possibilitadora do fluxo que perseguimos ou como inibe este processo?

Se não fizermos estas perguntas não conseguiremos a autoria de nossas vidas e a conquista dos nossos desejos, muitas vezes racionalizando demais para explicar a não objetivação deles com desculpas reveladoras da nossa não crença em nós e no nosso direito de felicidade.

A assertiva do autor de "levar a vida para o resultado que você quer" está assentada nos pilares da Unesco:

- Aprender a ser
- Aprender a conviver
- Aprender a conhecer
- Aprender a Fazer

Os conflitos e dificuldades surgem na ausência destas competências.

Shinyashki, propõe que estas conquistas acontecem diariamente e devem permanecer sempre sendo alimentadas, pois a partir dos 17 anos ousamos poucas experimentações, apenas 10 por cento, tornando-nos prisioneiros de nossos hábitos.

Portanto honrados parceiros de caminhada dentro deste planeta, tempo, o êxito depende do quanto você lidera a sua própria vida, entendendo liderança como capacidade de conhecimento sobre si no mundo e sobre o mundo em que habitamos acreditando e se auto vigiando para não cair em ciladas produzidas pela própria incapacidade de não acreditar em si em morrer um pouco a cada instante!!!!!!!

Miliane Tahira




Encanto



"Quero te dar chuva de flores pela manhã. E quando quiseres podes vir colher sorrisos direto do quintal da minha alma. Nunca há de te faltar afeto. E se murchar tua alegria, podes vir buscar uma muda no meu jardim para que a tua floresça outra vez. Se te faltar o vento, eu te sopro carinho. E se te faltarem as cores do dia, a gente pinta tudinho com tons de felicidade. Lá do alto, não te deixarei olhar para baixo e mesmo que escorregues de uma nuvem molhada, eu não te soltarei a mão, não te deixarei cair."

Caio Fernando Abreu

Visão de Deus


Cada ar, cada átomo está ligado à visão de Deus.
Mas até que ela seja aberta, quem dirá:“Lá embaixo se encontra uma porta”!
A menos que o Observador abra a porta,
Esta idéia não nasce no coração dos homens.

(Masnavi, I, versos 3.766-3.767)

O Amor



O Amor é Luz, dado que ilumina aquele que dá e o que recebe.
O Amor é gravidade, porque faz com que as pessoas se sintam atraídas umas pelas outras.
O Amor é potência, pois multiplica (potencia) o melhor que temos, permitindo assim que a humanidade não se extinga em seu egoísmo cego.
O Amor revela e desvela.
Por amor, vivemos e morremos.
Albert Einstein

Aceitação

"Quando você aceita o seu próprio estado de abundância, você perde o seu medo de carência e começa a viver de uma maneira sem limitação.Você ama generosamente. Você compartilha generosamente. Você incorpora a natureza ilimitada do universo e vive a alegria do seu alinhamento com a Fonte servindo não somente a você, mas também trabalhando através de você pelo bem maior de todos."


- Arcanjo Gabriel

Se eu escolher amar uma mulher desperta! - Sobre relacionar-se e transformar-se

http://padmashanti.blogspot.com.br/2015/12/se-escolher-amar-uma-mulher-desperta.html

24 de out de 2016

Reconhecendo a sombra feminina

Reconhecendo a sombra feminina

"Uma alma faminta pode ficar tão cheia de dor que a pessoa não consegue suportar mais. Como as mulheres têm uma necessidade profunda da alma se expressar em seus próprios estilos de alma, elas precisam se desenvolver e florescer de um modo que faça sentido para elas, sem serem molestadas pêlos outros. [...] Quem dentre nós não conhece pelo menos uma mulher amada que perdeu seus instintos para fazer boas opções na vida e foi, assim, forçada a viver uma vida alienada ou pior? Talvez você mesma seja essa mulher.
Uma das questões menos discutidas a respeito do processo de individuação é a de que, à medida que se lança luz sobre as trevas da psique com a maior intensidade possível, a sombra, onde a luz não alcança, fica ainda mais escura. Portanto, quando iluminamos alguma parte da psique, disso resulta uma escuridão mais profunda com a qual temos de lutar. Não se pode deixar de lado essa escuridão. A chave, ou as perguntas, não pode ser ocultada nem esquecida. As perguntas precisam ser feitas. Elas precisam obter resposta.
O trabalho mais profundo é geralmente o mais sombrio. Uma mulher corajosa, uma mulher que procura ser sábia, irá urbanizar os terrenos psíquicos mais pobres, pois, se ela construir apenas nos melhores terrenos da psique, terá uma visão mínima de quem realmente é. Portanto, não tenha medo de investigar o pior. Isso só lhe garante um aumento no poder da sua alma. "
( Clarissa Pinkola Estes - livro Mulheres que Correm com os Lobos)






15 de out de 2016

CAMINHOS DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL

MUNIÇÃO JÁ!!!!!!!!!!!

A Arte´e a Educação... estes são os melhores armamentos e nos quais acredito capazes de transformar o mundo!!!!!!