22 de jun de 2016

Proximo Evento produzido e dirigido por Miliane Tahira

 
 
 
Para todos aqueles que apreciam a arte como a mais profunda manifestação de encontro consigo e com o cosmos, em agosto acontecerá o Musical - Mistérios e Mitos Sobre a Criação do Mundo.
Um espetáculo dirigido por Miliane Tahira e pensado em conjunto com as alunas de dança do ventre da Academia de Dança Adalgisa Rolim. O evento contará com a participação de amigos e convidados da música e da dança...: Abraão e músicos (Kirthan), Tarita Mistral e Sandra Nascimento (Dança do Ventre e fusão), Ananda Govinda (Dança indiana).
Aguardamos vocês. Ingressos limitados.

P.S - O Projeto contou com a colaboração dos artistas e mestres André Siqueira, Wakay, Tarita Mistral e Ananda Govinda na fase de estudo sobre as linguagens exploradas para além da dança do ventre!!! Gratidão

Apoio: Cine Teatro de Lauro de Freitas

18 de jun de 2016

Condição de Plenitude: O nada, o zero, o branco, o negro e o vazio


Condição de Plenitude: O nada, o zero, o branco, o negro e o vazio


Na nossa sociedade a cultura do ter se sobrepõe a cultura do ser
Quantos (qualquer coisa) você tem, entra na lugar da substância..
Necessidade de cores, de sons, de formas e de excesso de sabores

E a solidão persiste porque a quantidade acaba
Ilusoriamente tentam preenche-la com mais quantidades
Que acabam....

Ininterruptamente persegue-se o imperseguível
O preenchimento da insubstância do ser que não se conhece, não se vasculha, não se contém no espaço de si mesmo...

O vazio é o espaço onde todas as coisas pertencem,
O branco é a união de todas as cores
O negro a ausência de todas elas
O nada contem a presença do tudo, mas um tudo em perfeita capacidade de infinitas possibilidades

Por não ser um conjunto fechado todas estas categorias guardam um espaço de compreensão
Um espaço do não julgamento
Onde a plenitude reside
Onde a paz já se faz pronta
Posta está!

Excesso de cores polui a visão
Excesso de sons obstrui a escuta
Excesso de formas ofusca o olhar
Excesso de sabores desarmoniza o paladar..

Aprecie a serenidade das cores e não o acúmulo delas
Escute e reconheça o ritmo interno do seu coração e coloque suas mãos para materializar a vida fora de ti.
Reconheça a delicadeza das formas
A boniteza das coisas
O sabor de um patê de atum com cream craker no momento certo pode ser muito mais saboroso do que um prato feito com infinitos e sofisticados ingredientes se for feito pelas mãos certas no lugar e com a pessoa certa!

Aprender a apreciar o nada! O seu espaço interno de conciliação com seu si mesmo!

Ah, e o zero...
É o mais belo número dentre todos, pois ele representa que ali, onde aparentemente nenhuma quantidade há,
É exatamente onde tudo está aguardando para ser..

Espaço absoluto
Espaço de amor total
Espaço de comunhão
Espaço de construção
Espaço de encontro
Espaço de Oração
Espaço de infinitude
Espaço do aqui e agora
Espaço o sempre!!!!

Miliane Tahira

12 de jun de 2016

A arte de fazer amor

Quem quer aprender a fazer amor
 
 
Quem quer aprender a fazer amor precisa se esquecer um pouco de sexo.
Precisa se esquecer até mesmo do outro. Deve estar em si, antes de tudo.
E entender-se com suas raízes selvagens.
E deve saber, antes, que o amor rege o mundo.
Mesmo quando se esquecem dele.
Quem quer aprender a fazer amor deve ser capaz de olhar nos olhos.
E no olhar expressar, receber, trocar. Até tocar.
Precisa perceber o quanto as almas podem comungar, ainda que os corpos não se conheçam.
Deve, ao lado do seu bem – sim, pra fazer amor tem que querer bem –, abrir espaço para que uma canção de derramada beleza os transporte para reinos de ternura.
Precisa conhecer o próprio corpo e ter a bondade de lhe conceder prazer. Precisa investigar o prazer do outro e saber que tudo está muito bem se tiver prazer em lhe provocar prazer.
Quem quer aprender a fazer amor também deve ser capaz de se aninhar no corpo do seu par e ficar quietinho. E deve ser livre o suficiente para poder chorar de amor.
Nunca pode se considerar mestre. Porque os verdadeiros mestres sabem que são aprendizes sempre.
Quem quer aprender a fazer amor tem que ser criança no coração e amar a brincadeira.
E tem quer ter tempo, muito tempo, para fazer amor.
Porque a cama a gente prepara muito antes de deitar.
 
Onides Bonaccorsi Queiroz